Alimentos orgânicos versus convencionais


Smith-Spangler, C. et al., 2012. Are Organic Foods Safer or Healthier Than Conventional Alternatives?A Systematic Review. Annals of Internal Medicine, 157(5), p.348–366.

Nesta revisão sistemática foram incluídos 17 estudos em humanos e 223 estudos sobre nutrientes e contaminantes em alimentos. Apenas 3 dos estudos em humanos avaliaram desfechos clínicos, não encontrando impacto significativo em relação a alergias ou infecção sintomática por Campylobacter. Dois estudos demonstraram níveis urinários de pesticidas significativamente menores em crianças que consumiam alimentos orgânicos versus os convencionais, entretanto em adultos os estudos com biomarcadores e nutrientes no sangue, urina, leite materno e sêmen não demonstraram diferenças significativas.

O risco de contaminação dos alimentos por agrotóxicos foi significativamente menor (diferença de risco = 30%, IC -37% a -23%) nos alimentos orgânicos quando comparados aos convencionais. A contaminação por Escherichia coli não foi diferente entre os dois grupos. O risco de detecção de bactérias resistentes a 3 ou mais antibióticos na carne de frango e porco foi significativamente maior na carne convencional quando comparada à orgânica (diferença de risco = 33%, IC -21% a 45%).

Os autores concluem que na literatura científica publicada até 2011 não há evidência de que os alimentos orgânicos tenham composição nutricional diferente dos convencionais, porém o consumo de alimentos orgâncos pode reduzir a exposição a agrotóxicos e a bactérias multi-resistentes a antibióticos (Smith-Spangler et al. 2012).