Escorpiões


O que são?

Pertencentes à classe Arachnida, os escorpiões apresentam o corpo dividido em cefalotórax e abdome, sendo que os últimos 5 segmentos do abdome formam a cauda (metassoma). No cefalotórax estão inseridos, lateralmente, quatro pares de pernas, e na região anterior encontram-se um par de pedipalpos (onde estão as “pinças”) e um par de quelíceras, usadas na alimentação. Na região ventral do cefalotórax encontra-se um par de pentes, exclusivo de escorpiões. No final da cauda está o télson, estrutura utilizada para inocular o veneno produzido nas glândulas aí localizadas. Dorsalmente apresentam dois olhos em posição mediana, e de 2 a 5 pares de olhos laterais.

Escorpiões de importância médica:

A ordem Scorpiones está distribuída por todos os continentes (exceto na Antártica), contando com 1600 espécies. Apenas 25 espécies são consideradas perigosas ao homem, todas elas pertencentes a família Buthidae. Dos quatro gêneros de escorpiões mais perigosos (Androctonus, Leiurus, Centruroides e Tityus), apenas o gênero Tityus ocorre nas Américas. Para Santa Catarina são registradas as espécies Tityus costatus, Tityus serrulatus (escorpião amarelo) e Tityus bahiensis (escorpião marrom ou preto).

Escorpiões de importância médica em Santa Catarina:

Tityus costatus

Ocorre na ragião da Mata Atlântica, de Minas Gerais ao Rio Grande do Sul. Apresentam tamanho entre 5 e 7 cm, coloração marrom-amarelada com três faixas longitudinais no cefalotórax, ou todo o cefalotórax preto. Os pedipalpos e as pernas são amarelados ou amarelo-avermelhados fortemente manchados.

Tityus serrulatus (escorpião amarelo)

São registrados para os Estados de MG, SP, RJ, ES, BA, GO e DF, tendo sido introduzidos em RO e PR. Porém, a espécie já é encontrada em SC também. Estes escorpiões medem de 5,5 a 7 cm e apresentam coloração amarela, com o cefalotórax e o abdome mais escuros, e sem manchas nos pedipalpos e pernas. Seu nome científico é devido a serrilha que apresenta, localizada na parte dorsal do 3° e 4° segmentos da cauda. Esta espécie não possui machos, sendo que a reprodução acontece apenas por partenogênese.

Tityus bahiensis (escorpião preto ou escorpião marrom)

Se distribuem pelos Estados BA, ES, GO, MT, MS, MG, PR, RJ, RG, SC e SP, além do Paraguai e Argentina. O tamanho destes indivíduos varia de 5,5 a 7 cm. Seu nome popular deriva da coloração marrom avermelhada que apresentam. O cefalotórax e o abdome são mais escuros, e as pernas e pedipalpos possuem manchas. Na cauda, o 4° e 5° segmentos são mais escuros que os demais.

Como diferenciar escorpiões perigosos de não perigosos?

Os escorpiões de importância médica que ocorrem no Brasil (Tityus sp.) possuem um espinho logo abaixo do ferrão (aguilhão). Além disso, sua coloração é mais opaca, diferente dos escorpiões sem importância médica, que aparentam serem naturamente envernizados, pois sua coloração é mais “brilhante”.

Como prevenir e o que fazer em caso de acidentes?

Os escorpiões se alimentam de outros animais, como baratas, aranhas, cupins e até mesmo de pequenos vertebrados. Sendo assim, manter a limpeza da casa e de seus arredores, evitando o acúmulo de lixo e entulhos, ajuda na prevenção do aparecimento de escorpiões, que podem ser atraídos pela disponibilidade de abrigo e pelos animais que fazem parte de sua dieta e vivem nestes ambientes. Aconselha-se, ainda, vedar a soleira das portas, manter os ralos fechados, sempre verificar calçados e roupas antes de vesti-los e usar luvas para manipular entulhos ou cuidar do jardim.

Apesar de todos os escorpiões produzirem e inocularem veneno, somente as espécies já citadas podem causar algum mal às pessoas. Em casos de acidentes recomenda-se que o local da picada seja lavado com água e sabão e, em seguida, a pessoa deve ser levada a um hospital ou posto de saúde.